RSS

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Jovens e Adultos: Integridade Moral e Espiritual – O Legado do Livro de Daniel para a Igreja Hoje
Lição 04: A Providência Divina na Fidelidade Humana

Professoras e professores, observem estas orientações:
1 – Antes de abordar o tema da aula, é interessante que vocês mantenham uma conversa informal e rápida com os alunos:
- Cumprimentem os alunos.
- Dirijam-se aos alunos, chamando-os pelo nome, para tanto é importante uma lista nominal para que vocês possam memorizar.
- Perguntem como passaram a semana.
- Escutem atentamente o que eles falam.
- Observem se há alguém necessitando de uma conversa e/ou oração.
- Verifiquem se há alunos novatos e/ou visitantes e apresentem cada um.
2 - Este momento não é uma mera formalidade, mas uma necessidade. Ao escutá-los, vocês estão criando vínculo com os alunos, eles entendem que vocês também se importam com eles.
Outro fator importante para estabelecer vínculos com os alunos é através das redes sociais, adicionem os alunos e mantenham comunicação com eles.
3 - Após a chamada, solicitem ao secretário da classe a relação dos alunos ausentes e procurem manter contato com eles durante a semana, através de telefone ou email ou pelas redes sociais, deixando uma mensagem “in box” dizendo que sentiu falta dele(a) na EBD).
Os alunos se sentirão queridos, cuidados, perceberão que vocês sentem falta deles. Dessa forma, vocês estarão estabelecendo vínculos afetivos com seus alunos.
4 – Escolham um momento da aula, para mencionar os nomes dos alunos aniversariantes, parabenizando-os, dando-lhes um abraço, oferecendo um versículo.
5 – Fazendo o que foi exposto acima, somando-se a um professor motivado, associando a uma boa preparação de aula, com participação dos alunos, vocês terão bons resultados! Experimentem!
6 - Agora, vocês iniciam o estudo da lição. Vejam estas sugestões:
- Apresentem o título da lição: Providência Divina na Fidelidade Humana.
- Depois, perguntem:
Quais os desafios que os cristãos enfrentam na atualidade quanto a sua fé em Deus?
Escutem atentamente cada resposta e escrevam no quadro. Se necessário, acrescentem outras.
- Depois, falem: Estes são os desafios que nós os crentes fiéis enfrentamos no cotidiano quanto a fé cristã. Na lição de hoje, vamos estudar sobre um desafio enfrentado por 03 jovens, Sadraque, Mesaque e Abedenego, que resolveram não se prostrar diante da estátua do rei Nabucodonosor.
- Agora, peçam para que os alunos relatem este acontecimento. Cada aluno deverá dizer uma frase, completando a história que começa assim:
O rei Nabucodonosor fez uma estátua de ouro...
Esta atividade tem o objetivo de fazer lembrar os alunos sobre os acontecimentos desta narrativa. Alguns alunos podem não conhecer ou não se lembrar dos detalhes desta história, daí a importância de recontá-la, para que o tema a ser estudado de forma contextualizada seja compreendido e significativo.
- Em seguida, trabalhem os pontos levantados na lição.
- Para concluir, utilizem a dinâmica “Na Fornalha”.
Tenham uma excelente e produtiva aula!

Dinâmica: Na Fornalha
Objetivo: Refletir e reconhecer que nas dificuldades Jesus está conosco.
Material:
01 caixa de palitos de fósforos(tipo longo).
Procedimento:
- Leiam Daniel 3. 12, 15, 17, 19, 20, 21, 24, 25, 27.
- Solicitem que os alunos acompanhem em suas Bíblias a leitura citada.
- Falem: Lemos o relato sobre 03 jovens judeus que foram jogados na fornalha, mas neste momento de extrema dificuldade tiveram a companhia do 4º. Homem(Deus), que estava com eles, guardando-os na fornalha e não da fornalha.
Há momentos que também nos sentimos como se estivéssemos na fornalha, Jesus não nos prometeu ausência de problemas, mas que estaria conosco, conforme lemos em João 16.33 e Mateus 28.20b.
- Solicitem agora para que alguns alunos contem uma situação difícil, que eles sentiram como se estivessem na fornalha. Para tanto, peçam para que os alunos risquem o fósforo e, enquanto a chama estiver acesa, contem qual foi o problema e a solução e como se sentiu amparado por Jesus. Caso a chama se apague antes do aluno terminar o relato, deixe que ele conclua.
Dessa forma, isto é, com o fósforo aceso, o aluno deverá ter mais objetividade no relato e o fogo se apresenta como um símbolo de ter estado na fornalha da aflição.
- Ao término de cada relato, leiam Isaías 48.10b “...Provei-te na fornalha da aflição”.
- Para concluir, façam uma oração pelos alunos que estão passando por problemas, isto é, estão na fornalha da aflição.
Por Sulamita Macedo.

Texto Pedagógico
Método de Perguntas e Respostas

            O Método de Perguntas e Respostas consiste em lançar uma pergunta para os ouvintes, de forma que promova nos alunos um momento de reflexão para emitir suas respostas.
            Neste método é requerida uma pergunta bem elaborada, evitando assim respostas factuais e que conduzam a resposta com sim, não, não sei, talvez etc.
            A utilização deste método nas aulas da EBD pode ser tanto no início, no meio ou final da aula, dependendo então do momento, que o professor desejar, previamente pensado na execução do planejamento.
            A pergunta pode ser emitida, para turma, oralmente ou apresentada por escrito; depois de sua apresentação, aguarde um pouco de tempo e comece a anotar as respostas no quadro ou cartolina. Caso as respostas não apareçam de imediato, provoquem os alunos para que eles falem.
            As vantagens de sua utilização podem ser observadas, pois com sua inserção na aula, o professor está oportunizando a participação do aluno na aula, além de conhecer o que o aluno sabe sobre o tema.
            Quanto às desvantagens, podem ser citadas:

- O aluno não conhecer o tema e não emitir resposta;
- Outro que emite a resposta e ter vergonha de estar errada e temer que pode acontecer atitudes inadequadas dos colegas devido a resposta dele – isto deve ser corrigido pelo professor, para que todos possam ter coragem de falar e saber que vai ser respeitado;
- Despreparo do professor em aceitar todas as respostas e depois não saber como extrair delas elementos para a análise final.
Não descarte nenhuma resposta, mesmo que esteja errada, incompleta ou não fazer sentido ao que foi perguntado. Todas as respostas devem ser observadas, pois ao ser lançada a pergunta, as respostas aparecerão.
Depois, é importante analisar todas as respostas, apresentando os argumentos bíblicos para o desfecho da análise. Dessa forma, o aluno perceberá que o professor “aproveitou” suas ideias, não deixando-as de lado e, certamente, em outras ocasiões continuará a querer participar, ao invés de se fechar, se o professor fizer de conta que não escutou uma resposta ou não dando atenção ao aluno pela emissão de algo errado ou descabido ou porque o professor não cortou de imediato as ações de pouco caso dos colegas etc.
            Jesus utilizou-se de várias formas de ensinar, dentre eles o de Perguntas e Respostas. As perguntas lançadas por Jesus objetivavam levantar questionamentos, fazendo o ouvinte pensar, instigando à dúvida, proporcionando-lhe um novo aprendizado.
            “Pois qual é mais fácil? Dizer: Perdoados te são os teus pecados ou dizer: Levante-te e anda?“ Mt 9.5
            “O batismo de João era do céu ou dos homens? Respondei-me.” Mc 11.30
            “... Quem dizem os homens ser o Filho do homem?” Mt 16.13.
Que tal seguir o exemplo do Mestre dos mestres? Utilize o método de perguntas e respostas nas aulas da EBD, ele fica muito bem nas aulas expositivas! Observe as orientações deste texto e faça bom proveito!

Por Sulamita Macedo.
Pré-adolescentes – Currículo do Ano 2: O Pré-Adolescente e a Igreja
Lição 04: A Igreja Organizada

Professoras e professores, observem estas orientações:
1 - Antes de abordar o tema da aula, é interessante que vocês mantenham uma conversa informal e rápida com os alunos:
- Cumprimentem os alunos.
- Dirijam-se aos alunos, chamando-os pelo nome, para tanto é importante uma lista nominal para que vocês possam memorizar.
- Perguntem como passaram a semana.
- Escutem atentamente o que eles falam.
- Observem se há alguém necessitando de uma conversa e/ou oração.
- Verifiquem se há alunos novatos e/ou visitantes e apresentem cada um.
2 - Este momento não é uma mera formalidade, mas uma necessidade. Ao escutá-los, vocês estão criando vínculo com os alunos, eles entendem que vocês também se importam com eles.
Outro fator importante para estabelecer vínculos com os alunos é através das redes sociais, adicionem os alunos e mantenham comunicação com eles.
3 - Após a chamada, solicitem ao secretário da classe a relação dos alunos ausentes e procurem manter contato com eles durante a semana, através de telefone ou email ou pelas redes sociais, deixando uma mensagem “in box” dizendo que sentiu falta dele(a) na EBD).
Os alunos se sentirão queridos, cuidados, perceberão que vocês sentem falta deles. Dessa forma, vocês estarão estabelecendo vínculos afetivos com seus alunos.
4 – Escolham um momento da aula, para mencionar os nomes dos alunos aniversariantes, parabenizando-os, dando-lhes um abraço, oferecendo um versículo.
5 – Fazendo o que foi exposto acima, somando-se a um professor motivado, associando a uma boa preparação de aula, com participação dos alunos, vocês terão bons resultados! Experimentem!
6 – Agora, vocês iniciam o estudo da lição. Vejam estas sugestões:
- Falem: A igreja é o Corpo de Cristo. Sendo corpo, possui muitos membros com suas variadas funções. Na aula de hoje vamos estudar sobre as funções eclesiásticas.
- Depois, utilizem a dinâmica “Dividindo Tarefas”.
- Em seguida, expliquem cada função eclesiástica e outras atividades que são exercidas por diversas pessoas para o serviço da Igreja.
Tenham uma excelente e produtiva aula!

Dinâmica: Dividindo Tarefas
Objetivos:
Enfatizar a importância da divisão de tarefas na Igreja
Material:
09 objetos de tamanhos e pesos variados
Nomes digitados Pastor, Evangelista, Mestre, Apóstolo, Profeta, Presbítero, Diácono, Auxiliar, Funções Administrativas
Antes da aula: Fixar cada nome digitado em um objeto

Procedimento:
- Organizem os alunos em círculo.
- Entrem no círculo e distribuam os 09 objetos para os alunos.
- Falem: Vocês vão passar estes objetos para os colegas da direita até que vocês escutem a palavra: Parem.
- Observem com atenção como vai ser realizada a passagem dos objetos para os colegas:
De forma rápida ou lenta
O objeto pode cair ou não
Atenção e compromisso com a atividade
- Depois, comentem sobre a atividade:
. O que significa receber e passar os objetos?
Receber uma missão e realizar o trabalho compartilhando com os demais. Na igreja há trabalhos que não podem ser realizados de forma isolada.
. O que representa 09 objetos diferentes sendo repassados ao mesmo tempo?
Várias atividades distintas são realizadas ao mesmo tempo. Na igreja há várias funções que estão sendo executadas no mesmo período de tempo, como os Dons Ministeriais, Presbítero, Diácono, Auxiliar, Funções Administrativas,  isto é, funções diferentes com o objetivo de servir melhor no Reino de Deus, que devem ser acompanhados pelos dons Espirituais.
. Qual o resultado da atividade? Os objetos foram passados de forma ordeira, com cuidado? Houve desatenção de alguém?
Isto demonstra a atenção, o compromisso com o trabalhado, com quem delegou a atividade e com os demais componentes. Na Igreja quando alguém recebe uma função deve ser realizada de forma capaz de produzir resultados positivos para a obra de Deus.
- Falem: As atividades de um modo geral devem ser compartilhadas de forma coletiva, tendo em vista que o líder não tem condições de sozinho realizar as ações de forma exitosa.
Na igreja também é dessa forma, há a necessidade da divisão de atividades, por isso o líder local precisa de cooperadores comprometidos, que tenham recebidos de Deus os dons para que desempenhem de forma exitosa o trabalho do Mestre.
- Para concluir, leiam: “Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um para o que for útil”(I Co 12.7).
Por Sulamita Macedo.
Adolescentes - Currículo do Ano 2: Cartas que Ensinam
Lição 04: Confronto Histórico

Professoras e professores, observem estas orientações:
1 - Antes de abordar o tema da aula, é interessante que vocês mantenham uma conversa informal e rápida com os alunos:
- Cumprimentem os alunos.
- Dirijam-se aos alunos, chamando-os pelo nome, para tanto é importante uma lista nominal para que vocês possam memorizar.
- Perguntem como passaram a semana.
- Escutem atentamente o que eles falam.
- Observem se há alguém necessitando de uma conversa e/ou oração.
- Verifiquem se há alunos novatos e/ou visitantes e apresentem cada um.
2 - Este momento não é uma mera formalidade, mas uma necessidade. Ao escutá-los, vocês estão criando vínculo com os alunos, eles entendem que vocês também se importam com eles.
Outro fator importante para estabelecer vínculos com os alunos é através das redes sociais, adicionem os alunos e mantenham comunicação com eles.
3 - Após a chamada, solicitem ao secretário da classe a relação dos alunos ausentes e procurem manter contato com eles durante a semana, através de telefone ou email ou pelas redes sociais, deixando uma mensagem “in box” dizendo que sentiu falta dele(a) na EBD).
Os alunos se sentirão queridos, cuidados, perceberão que vocês sentem falta deles. Dessa forma, vocês estarão estabelecendo vínculos afetivos com seus alunos.
4 – Escolham um momento da aula, para mencionar os nomes dos alunos aniversariantes, parabenizando-os, dando-lhes um abraço, oferecendo um versículo.
5 – Fazendo o que foi exposto acima, somando-se a um professor motivado, associando a uma boa preparação de aula, com participação dos alunos, vocês terão bons resultados! Experimentem!
6 – Agora, vocês iniciam o estudo da lição. Vejam estas sugestões:
- Falem: Nesta lição, vamos estudar sobre o Fruto do Espírito e as Obras da Carne, que são mencionados na carta de Paulo aos Gálatas.
 - Solicitem que os alunos abram a Bíblia em Gálatas 5. 22. Leiam o versículo citado e depois trabalhem o significado de cada palavra, observando inicialmente a ideia que os alunos já possuem sobre elas. Depois, se necessário, apresentem o significado do dicionário.
Em seguida façam o mesmo procedimento após a leitura de Gl 5. 19 a 21(obras da carne).
À medida que a leitura dos versículos for realizada, coloquem no quadro as palavras citadas(digitadas), formando dois grupos antagônicos.
- Depois, falem que há uma batalha constante entre o Espírito e a Carne, conforme lemos em Gl 5. 17. Enfatizem que como cristãos devemos apresentar frutos dignos de arrependimento e que este confronto entre a natureza espiritual e carnal, pode ser vencida com ajuda do Espírito Santo, oração, vigilância e guardando a Palavra de Deus.
- Durante a aula, oportunizem a participação do aluno, envolvendo-o através de exemplos e situações próprias de sua idade. Dessa forma, vocês estão contextualizando o tema com a vida do aluno, além de promover uma aprendizagem mais significativa.
- Leiam o texto “A Serpente e o Vaga-lume”, que proporcionará a reflexão sobre a luta do mal contra o cristão, para que ele não seja luz do mundo.
- Para finalizar, utilizem a dinâmica “A Bagagem”.
Tenham uma excelente e produtiva aula!

Texto de Reflexão
A Serpente e o Vaga-lume
Conta a lenda que, uma vez, uma serpente começou a perseguir um vaga-lume. Este fugia rápido, com medo da feroz predadora e a serpente nem pensava em desistir.
Fugiu por um dia inteiro e ela não desistia. Dois dias e nada… No terceiro dia, já sem forças, o vaga-lume parou e disse à cobra:
- Posso lhe fazer três perguntas?
- Não costumo abrir esse precedente para ninguém, mas, já que vou te devorar mesmo, pode perguntar…
- Pertenço à sua cadeia alimentar?
- Não.
- Eu te fiz algum mal?
- Não.
- Então, por que você quer acabar comigo?
- Porque não suporto ver você brilhar…
Autoria desconhecida.

Dinâmica: A Bagagem
Objetivo:
Refletir sobre a importância da frutificação espiritual na vida cristã.
Material:
Texto “A Bagagem”(postado abaixo)
01 mala pequena, 01 mala grande
01 malinha bem pequena de plástico, que você encontra nas lojas de aniversário, tipo essa do lado.
Palavras digitadas: Amizade, Amor, Raiva,  Incompreensão, Medo, Pessimismo, Desânimo, Sorriso,  Outro Sorriso, Mais Outro Sorriso,  Felicidade, Tristeza, Paciência,  Esperança,  coragem, Entusiasmo, Equilíbrio, Responsabilidade, Tolerância, Bom humor, Preocupação.
Também digitem as 09 partes do Fruto do Espírito Santo (Gl 5.22)   e as 16 obras da Carne(Gl 5.19 a 21).
Procedimento:
1 - Antes da aula: Coloquem todas estas palavras dentro da mala grande, pregadas com fita adesiva para facilitar a procura das palavras. Com um clips junte as 09 partes do Fruto do Espírito e com outro as 16 obras da carne e coloquem dentro da mala.
2 - Durante a aula: Escolham uma pessoa para ler o texto “A Bagagem” e outra para realizar as ações apontadas no texto. As orientações em negrito e itálico são minhas, não fazem parte do texto original.
Texto de Reflexão “A Bagagem”
            Quando sua vida começa, você tem apenas uma mala pequenina na mão(neste momento mostre a mala pequena).
À medida em que os anos vão passando, a bagagem vai aumentando. Porque existem muitas coisas que você recolhe pelo caminho, porque pensa que é importante(Peguem a mala grande).
A um determinado ponto do caminho começa a ficar insuportável carregar tantas coisas. Pesa demais (andar como se mala realmente estivesse pesada).Então você pode escolher:
Ficar sentado à beira do caminho (se possível se sentar), esperando que alguém o ajude, o que é difícil. Pois todos que passarem por ali já terão sua própria bagagem. Você pode ficar a vida inteira esperando, até que seus dias acabem.

Ou você pode aliviar o peso, esvaziando a mala. Mas o que tirar? Você começa tirando tudo para fora, e vendo o que tem dentro… Amizade… Amor… Nossa! Tem bastante! E curioso, não pesa nada!(comecem a tirar as palavras à medida que forem mencionadas).
Mas tem algo pesado. Você faz força para tirar. É a raiva, como ela pesa.
Aí você começa a tirar, tirar e aparecem à incompreensão, o medo, o pessimismo.
Nesse momento, o desânimo quase te leva para dentro da mala. Mas você puxa-o para fora com toda a força, e aparece um sorriso, que estava sufocada no fundo de sua bagagem.
Pula para fora outro sorriso e mais outro sorriso, e ai sai à felicidade.
Você coloca as mãos dentro da mala de novo e tira pra fora a tristeza.
Agora, você vai ter que procurar a paciência dentro da mala, pois você vai precisar bastante…
Então procurem o resto, esperança coragem, entusiasmo, equilíbrio, responsabilidade, tolerância, bom humor(As 09 partes do Fruto do Espírito, ao retirar leia cada uma).
Tira a preocupação também, e deixa de lado. Depois você pensa o que fazer com ela… (as 16 obras da carne, ao retirar leia cada uma).
             Bem, sua bagagem está pronta para ser arrumada de novo! Mas pensa bem o que você vai colocar lá dentro!
Agora é com você… E não se esqueça de fazer isso mais vezes… Pois o caminho é Muito, muito longo.
Autoria do texto desconhecida.
3 – Agora, sugiram aos alunos para que “arrumem a mala”, colocando as palavras que merecem estar no nosso caminhar na vida cristã, enfatizem a importância das 09 partes do Fruto do Espírito.
4 – Para concluir, entreguem para cada aluno, 01 malinha bem pequena de plástico com o versículo de Mateus 11. 28 a 30.

Por Sulamita Macedo.
Juvenis - Currículo do Ano 2: O Perigo da Falsa Ciência e das Filosofias Antibíblicas
Lição 04: A Bíblia e a Ciência

Professoras e professores, observem estas orientações:
1 - Antes de abordar o tema da aula, é interessante que vocês mantenham uma conversa informal e rápida com os alunos:
- Cumprimentem os alunos.
- Dirijam-se aos alunos, chamando-os pelo nome, para tanto é importante uma lista nominal para que vocês possam memorizar.
- Perguntem como passaram a semana.
- Escutem atentamente o que eles falam.
- Observem se há alguém necessitando de uma conversa e/ou oração.
- Verifiquem se há alunos novatos e/ou visitantes e apresentem cada um.
2 - Este momento não é uma mera formalidade, mas uma necessidade. Ao escutá-los, vocês estão criando vínculo com os alunos, eles entendem que vocês também se importam com eles.
Outro fator importante para estabelecer vínculos com os alunos é através das redes sociais, adicionem os alunos e mantenham comunicação com eles.
3 - Após a chamada, solicitem ao secretário da classe a relação dos alunos ausentes e procurem manter contato com eles durante a semana, através de telefone ou email ou pelas redes sociais, deixando uma mensagem “in box” dizendo que sentiu falta dele(a) na EBD).
Os alunos se sentirão queridos, cuidados, perceberão que vocês sentem falta deles. Dessa forma, vocês estarão estabelecendo vínculos afetivos com seus alunos.
4 – Escolham um momento da aula, para mencionar os nomes dos alunos aniversariantes, parabenizando-os, dando-lhes um abraço, oferecendo um versículo.
5 – Fazendo o que foi exposto acima, somando-se a um professor motivado, associando a uma boa preparação de aula, com participação dos alunos, vocês terão bons resultados! Experimentem!
6 – Agora, trabalhem o conteúdo da lição. Vejam as sugestões abaixo:
- Agora, falem sobre o título desta lição: A Bíblia e a Ciência.
- Em seguida, perguntem: O que é Ciência?
Aguardem as respostas. Apresentem outras informações e elaborem uma definição de forma coletiva, partindo das ideias iniciais dos alunos.
- Afirmem que a verdadeira Ciência não desfaz o que a Bíblia confirma, pelo contrário autentica sua mensagem. Para confirmar esta informação, trabalhem com os alunos o texto “Fatos Científicos na Bíblia”(postado abaixo).
- Depois, façam uma advertência quanto a argumentos apresentados por pessoas que desejam desfazer da Palavra de Deus. Em seguida, leiam I Tm 6. 20 e 21: “Ó Timóteo, guarda o depósito que te foi confiado, tendo horror aos clamores vãos e profanos e às oposições da falsamente chamada ciência; a qual professando-a alguns, se desviraram da fé. A graça seja contigo. Amém.”
- Depois, leiam o texto “Deus e a Ciência”(postado abaixo).
- Falem: Daniel predisse que a ciência se multiplicaria. Leiam Dn 12.04 “E tu, Daniel, fecha estas palavras e sela este livro, até ao fim do tempo: muitos correrão de uma parte para outra e a ciência se multiplicará”.
Enfatizem a última parte do versículo e falem sobre a atualidade desta mensagem. Peçam aos alunos para que citem algumas descobertas científicas e avanço da tecnologia.
- Para concluir, utilizem a dinâmica “Tesouro Escondido”, que possibilitará a reflexão sobre a importância de termos a Bíblia como algo preciso, que deve ser guardado no coração.
Tenham uma excelente e produtiva aula!

Dinâmica: Tesouro Escondido
Objetivo:
Refletir sobre a importância de termos a Bíblia como algo preciso, que deve ser guardado no coração e seus ensinamentos colocados em prática.
Incentivar a observância da Palavra de Deus, com a certeza de que Nela encontramos verdadeiro tesouro.
Material:
01 Bíblia pequena
01 caixa em forma de coração
Observação: A Bíblia deve caber dentro da caixa.
Procedimento:
Antes da aula: Coloquem a Bíblia dentro da caixa. Realizem esta ação ainda em casa, para que os alunos não vejam o conteúdo.
Durante a aula:
- Falem que dentro da caixa há um objeto. Passem a caixa para cada aluno, para que descubram o que há dentro; orientem que podem balançar a caixa, mas não podem abri-la.
- Se alguém descobrir, abram a caixa, mostrem a Bíblia e leiam Salmo 119:11: “Escondi a Tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti”.
- Se não descobrirem o conteúdo da caixa, façam o mesmo procedimento do item anterior.
- Falem sobre a importância da leitura bíblica e da obediência a Palavra de Deus, além do seu ensino, que é precioso conhecimento para a prática diária da vida cristã.
- Falem: Quem tem a Palavra de Deus como verdadeiro tesouro, precisa guarda-la muito bem, para que ideias e filosofias não minem este bem tão precioso.
- Para concluir, leiam novamente o versículo 11 do Salmo 119: “Escondi a Tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti”.
Por Sulamita Macedo.

Texto de Reflexão
Deus e a Ciência

Na França, um senhor de 70 anos viajava de trem tendo ao seu lado um jovem universitário que, compenetrado lia o seu livro de ciências. O senhor por sua vez lia um livro de capa preta. Foi quando o jovem percebeu que se tratava da Bíblia. Sem muita cerimônia o jovem interrompeu a leitura do velho e perguntou:
- O senhor ainda acredita neste livro cheio de fábulas e crendices?
-Sim, disse o senhor, mas não são crendices, é a Palavra de Deus. Estou errado?
Com uma risadinha sarcástica, respondeu:
- Claro que está! Creio que o senhor deveria estudar a história geral. E veria que a Revolução Francesa, ocorrida há mais de 100 anos, fez o favor de mostrar a miopia da religião.  Somente pessoas sem cultura ainda creem nessa história de que Deus criou o mundo em seis dias. O senhor deveria conhecer um pouco mais sobre o que os cientistas dizem sobre isso.
- É mesmo? – perguntou o velho cristão – e o que dizem os cientistas sobre a Bíblia?
- Bem, respondeu o universitário – agora eu vou descer na próxima estação, mas deixe o seu cartão que eu lhe enviarei o material pelo correio.
O velho então cuidadosamente abriu o bolso interno do paletó e deu seu cartão ao universitário.
Quando o jovem leu o que estava escrito abaixou a cabeça e saiu cabisbaixo.
O cartão dizia: Louis Paster, Diretor do Instituto de Pesquisa Científicas da École Normale de Paris. Isso aconteceu em 1892.
Autoria do texto desconhecida.

Indicação de Leitura

Fatos científicos na Bíblia

A Bíblia e a posição da Terra no espaço
Em um tempo que se acreditava que a Terra estava situada em cima de um grande animal ou gigante (1.500 A.C.), a Bíblia falou da posição da Terra no espaço: “O norte estende sobre o vazio; e suspende a terra sobre o nada.” (Jó 26:7). A ciência não descobriu que a Terra não era sustentada por nada até 1650.
As Escrituras falam de uma estrutura invisível.
Só há pouco tempo atrás, a ciência descobriu que tudo que nós vemos é composto de coisas que não conseguimos ver – átomos. Em Hebreus 11:3, escrito há 2000 anos atrás, a Escrituras nos dizem que “aquilo que se vê não foi feito do que é aparente”.

A Bíblia revela que a Terra é redonda
As Escrituras nos dizem que a Terra é redonda: “Ele é o que está assentado sobre o círculo da terra” (Isaías 40:22).
A palavra traduzida como “círculo” aqui é a palavra em hebraico chuwg, que também pode ser traduzida como “circuito” ou “bússola” (dependendo do contexto). Ou seja, ela indica algo esférico, arredondado ou arqueado – não algo que é plano ou quadrado. O livro de Isaías foi escrito aproximadamente entre 740 e 680 anos A.C. São pelo menos 300 anos antes de Aristóteles sugerir, em seu livro Sobre os Céus, que a Terra talvez fosse uma esfera. Dois mil anos depois (num tempo em que a ciência acreditava que a Terra fosse plana) as Escrituras inspiraram Cristóvão Colombo a navegar ao redor do mundo.

A Bíblia e a ciência da Oceanografia
Mathew Maury (1806 – 1873) é considerado o pai da oceanografia também chamada de oceanologia. Ele percebeu a expressão “veredas dos mares” em Salmos 8:8 (escrito 2.800 anos antes) e disse, “Se Deus disse que há veredas no mar, eu vou encontrá-las”. Maury então acreditou literalmente no que Deus disse e foi procurar essas veredas, e nós devemos muito a sua descoberta das correntes continentais quentes e frias. O seu livro sobre oceanografia permanece um texto básico sobre o assunto e ainda é usado em universidades.

A Bíblia e as ondas de rádio
Deus fez a Jó uma pergunta muito estranha em 1.500 a.C. Ele perguntou: “Ou mandarás aos raios para que saiam, e te digam: Eis-nos aqui?” (Jó 38:35). Isso parece ser uma afirmação cientificamente ridícula – que a luz pode ser enviada, e depois se manifestar em fala. Mas você sabia que toda radiação eletromagnética, de ondas de rádio ao raio-X, viaja na velocidade da luz? É por isso que você fazer uma comunicação instantânea sem fio com alguém do outro lado do mundo. O fato de que a luz podia ser enviada e depois se manifestar em fala não foi descoberto pela ciência até 1846 (3.300 anos depois), quando “o cientista britânico James Clerk Maxwell sugeriu que a eletricidade e as ondas leves eram duas formas da mesma coisa” (Modern Century Illustrated Encyclopedia).

A Bíblia e Entropia
Três lugares diferentes na Bíblia (Isaías 51:6; Salmos 102:25,26; e Hebreus 1:11) indicam que a Terra está se deteriorando. Isso é o que a Segunda Lei da Termodinâmica (a lei da entropia crescente) afirma: que em todos os processos físicos, todo sistema ordenado ao longo do tempo tende a se tornar mais desordenado. Tudo está se desgastando e deteriorando à medida que a energia está se tornando cada vez mais escassa. Isso significa que o Universo irá se deteriorar ao ponto que (em tese) haverá uma “morte da energia térmica” e portanto não haverá mais energia disponível para o uso. Isso só foi descoberto pela ciência recentemente, mas a Bíblia afirma isso de forma concisa.

A Bíblia e o ciclo da água
As Escrituras nos informam “Todos os rios vão para o mar, e contudo o mar não se enche; ao lugar para onde os rios vão, para ali tornam eles a correr.” (Eclesiastes 1:7). Essa frase parece não ser profunda. Mas quando é considerada com outras passagens bíblicas, ela torna-se mais fantástica. Por exemplo, o rio Mississipi despeja aproximadamente 518 bilhões de galões de litros de água a cada 24 horas no Golfo do México. Para onde vai toda essa água? E esse é só um entre milhares de rios. A resposta está no ciclo hidrológico, tão bem explicado na Bíblia.
Eclesiastes 11:3 diz que “Estando as nuvens cheias, derramam a chuva sobre a terra”. Olhe para as palavras resumidas da Bíblia em Amós 9:6 Ele ... o que chama as águas do mar, e as derrama sobre a terra”. A idéia de um ciclo completo da água só foi compreendido pelos cientistas no século dezessete. Entretanto, dois mil anos antes das descobertas de Pierre Perrault, Edme Mariotte, Edmund Halley, e outros, as Escrituras mencionaram claramente um ciclo da água.

A Bíblia e a primeira Lei da Termodinâmica
As Escrituras dizem, “Assim os céus, a terra e todo o seu exército foram acabados.” (Gênesis 2:1). O original em hebraico usa o particípio para indicar que uma ação completada no passado nunca mais iria acontecer. A criação foi “acabada” de uma vez por todas. Isso é exatamente o que a primeira lei da termodinâmica diz. Essa lei (chamada geralmente de lei da conservação da energia ou massa) afirma que nem a massa nem a energia podem ser criadas ou destruídas.
Foi por causa dessa lei que a teoria do “Estado-imutável” ou “Criação contínua” foi desconsiderada. Hoyle dizia que em alguns pontos do universo chamados “irtrons”, a matéria ou a energia estava sendo criada constantemente. Mas, a primeira lei da termodinâmica afirma exatamente o contrário. Realmente não há “criação” ocorrendo hoje em dia. Tudo está “acabado” exatamente como a Bíblia diz.

A Bíblia e a dimensões de um navio
Em Gênesis 6, Deus revelou a Noé as dimensões da arca de 42 milhões de litros cúbicos que ele deveria construir. Em 1609 em Hoor na Holanda, um navio foi construído de acordo com essas medidas (30:5:3), revolucionando a construção de navios. Por volta do ano 1900 todos os grandes navios nos oceanos tinham aproximadamente a mesmas proporções da arca (confirmado pelo “Registro de Navio de Lloyd” no Almanaque Mundial).

A Bíblia e as leis meteorológicas
A Bíblia descreveu um “ciclo” de correntes de ar dois mil anos antes de os cientistas descobrirem: “O vento vai para o sul, e faz o seu giro para o norte; continuamente vai girando o vento, e volta fazendo os seus circuitos.” (Eclesiastes 1:6). Nós sabemos agora que o ar ao redor da Terra gira em gigantescos círculos, no sentido horário em um hemisfério e no sentido anti-horário no outro hemisfério.

A Bíblia e a Ciência
“Na antiguidade e no que foi chamado de Idade das Trevas, o homem não sabia o que ele sabe hoje sobre a humanidade e o cosmos. Eles não conheciam a fechadura, mas eles possuíam a chave, que é Deus. Agora muitos têm excelentes descrições da fechadura, mas eles perderam a chave. A solução ideal é a união entre ciência e religião. Nós devemos ser proprietários da fechadura e da chave. A verdade é que à medida que a ciência avança, ela descobre o que foi dito há milhares de anos na Bíblia” Richard Wurmbrand, Provas da Existência de Deus.